12 de fevereiro de 2010

Olhos da alma.

Olho para dentro e não vejo nada.
Não enxergo algo que possa interessar aos olhos que não são meus.
E sei que é isso que faz com que eles não me vejam.
Talvez, até me vejam, mas não o lado bom de mim.
Só o ruim.
Ou sou eu que não vejo as virtudes que me foram dadas pelo Criador?
Talvez.
Amor-próprio.
É isso!
É isso que tenho em falta.
"Amai ao próximo como a ti mesmo!"
Então não amarei ninguém.

7 comentários:

Charlie B. disse...

Ah, não não. Mesmo na tristeza a gente descobre que se ama, a gente sofre porque sabe que dentro de nós algo não está legal, isso meio que é amor. Não se perca, encare o problema e olhe a vida de um ângulo novo, aposto que em algum canto os sorrisos estão a te esperar numa timidez calada. beijo.

Charlie B.

Mariana Leal disse...

Muito lindo *-*

Taddeu Vargas disse...

Olá Tatiana! Sua escrita é quente, como a sangue dentro da gente! Tens talento menina, siga em frente! Voltarei para conferir!
Forte abraço e Feliz Páscoa!

Tatiana disse...

Amor-próprio, ese im, o mais dificil. Uma luta eterna!

Tatiana disse...

Amor-próprio, ese im, o mais dificil. Uma luta eterna!

Juliane Policarpo disse...

Perfeito, adorei o texto flor.
=D

Suellem Boton disse...

Ei linda!!!!
Saudades enormes... Você continua tão linda e talentosa quanto era quando te conheci.
Beijo enorme!!!!